SECRETARIA DA CULTURA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL,
OI E ASSOCIAÇÃO DE THEROLINGUÍSTICA APRESENTAM:

Zahra Alencar nasceu em Fortaleza-CE, é artista visual, cabeleireira e montadora de leão de praça. Usa, além de cabelos e cabeças, seu corpo negro como instrumento político. Numa óptica de redistribuição da violência e da organização da raiva ela se serve do deboche para apontar incoerências e injustiças históricas. Atualmente reside em São Paulo – SP (desde 2012). Compõe o Coletivo Cabeças (SP) e o Coletivo Universidad Desconocida (BR), um coletivo anônimo anti-disciplinar de resgate, discussão e criação de epistemologias que propõe curto-circuitar as normas. Em 2019 fez parte da residência Inland campo adentro em Madrid – Espanha junto com a Universidad Desconocida. Também em 2019 fez parte da residência Saint Martin em Lausane – Suíça.