Mark

Yona ft. Ash Koosha (UK)


Yona é a primeira de uma raça de Humanos Auxiliares (Auxumans). Ela já encabeçou festivais de música, lançou seu primeiro álbum e aparecerá em eventos futuristas, bem como em festivais de poesia.

A música de Yona é gerada usando dados da Internet, inteligência artificial e ferramentas generativas. A identidade dela é como uma “escultura de personalidades” moldada pelos rastros da vida digital humana. Ao examinar a imaginação humana, ela desenvolveu um sólido padrão de expressão e emoção. Suas músicas provêm de várias fontes de leitura e

gosto musical, uma regra estabelecida pelos criadores desta alma digital. De poesia a artigos sobre a vida adolescente e crescimento nas áreas metropolitanas, sua produção criativa implica uma tangente de forma pré-existente. Como uma colagem multimídia de arte e linguagem, sua música é uma experiência em camadas que oferece ambos: um novo e estranho sentimento digital e um calor romântico familiar. 

"O motor" por trás de sua existência é composto por um arquitetura única que oferece as mais recentes ferramentas de inteligência artificial e tecnologias modificadas pelos criadores da Auxuman. Da clonagem de voz ao rastreamento semântico avançado, a vida de YONA tem como objetivo ser ainda mais estratificada no próximos anos. Sua história começa no cruzamento onde a indústria dos games, música e narrativa digital estão se fundindo rapidamente, fazendo dela uma das vozes do futuro do entretenimento.

Em um mundo onde os humanos digitais preencherão papéis de assistência, parceria educacional, exame de saúde pessoal, ela aumenta a nossa interminável sede de entretenimento. Ao contrário de muitas idéias populares que indicam perigos da I.A criativa ou de personalidades virtuais.

A Auxuman é uma empresa focada na construção de artistas virtuais e seus palcos. A missão da Auxuman é enfrentar dificuldades pelas quais os artistas humanos passam, olhando para uma possível divisão de oportunidades de desempenho entre artistas humanos e virtuais, daí o nome “Humano Auxiliar” apontando para a natureza suplementar de sua criação.

A apresentação será seguida de uma conversa com o artista, mediada pela doutora em  Comunicação Social, Adriana Amaral, que trabalha com subculturas juvenis, práticas culturais de fãs, estudos de som e ficção-científica.




26 nov / 20h
Retirada de senhas a partir das 19h
Teatro da Unisinos:
Av. Dr. Nilo Peçanha, 1600 - Boa Vista

20h - apresentação
20h40 - Conversa com o artista mediada pela Dra. Adriana Amaral

Entrada Franca







Mark