Mark

Rakta (SP) 




A partir do lançamento do primeiro álbum autointitulado em 2013, o Rakta viveu uma vertiginosa ascensão. De maneira raríssima para uma banda vinda do cenário punk faça-você-mesmo de São Paulo, onde as opções são poucas e tudo é feito na raça, a banda despertou atenção internacional imediata e partiu para a conquista do mundo. Com isso, não é arriscado dizer que a banda é a filha mais bem-sucedida do underground paulistano em anos recentes. 


O som único de Carla Boregas (baixo e eletrônicos), Paula Rebellato (sintetizador e voz) e mais recentemente Maurício Takara (bateria e percussão), é acompanhado de performances instintivas e libertas que fez com que a mensagem do Rakta se espalhasse pelos quatro cantos.


Sobre a base sólida de baixo e bateria emanam texturas psicodélicas criadas por manipulações de sintetizadores e pedais de efeitos. As letras são entoadas como mantras, o formato verso-refrão é subvertido de maneira em que cada música deixa de ser uma canção e passa a ser um processo, a tradução de uma emoção em ritmos e sons sobrepostos e arranjados no limite do caos.


https://rakta.bandcamp.com/


29 nov/ 19h portas abertas
shows a partir das 22h
Agulha: Conselheiro Camargo, 300 -
São Geraldo



Entrada gratuita por ordem de chegada até a lotação da casa (300 pessoas),  sem necessidade de retirada de senhas.












Mark