SECRETARIA DA CULTURA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL,
OI E ASSOCIAÇÃO DE THEROLINGUÍSTICA APRESENTAM:

Associação de Therolinguística apresenta:

7˚ Festival Kino Beat – Histórias de Outros Reinos

O projeto curatorial do 7˚ Festival Kino Beat germina de uma história-semente — um conto de 1974 de Ursula K. Le Guin, “A Autora das Sementes de Acácia e Outras Passagens da Revista da Associação de Therolinguística”. Por meio da ficção, a escritora nos apresenta uma nova e revolucionária ciência que estuda a linguagem e a poética dos animais: a Therolinguística.

Nosso festival também pretende ser semente, para que artistas e públicos possam plantar e criar suas próprias histórias.

Neste conto, em algum momento no início do século XX, cientistas conseguiram identificar a arte, e traduzir os sons, movimentos, brincadeiras e outras trocas comunicacionais dos animais em linguagem humana. Apesar de Le Guin escrever em sua história que o possível aprimoramento desta ciência seria em direção a compreensão da linguagem e poética dos reinos vegetal e mineral, nas poucas páginas do conto, apenas alguns mistérios do reino animal eram de conhecimento dos therolinguistas.

É a partir desse ponto que jogamos algumas sementes para seguir a fabulação: propomos uma Associação de Therolinguística no século XXI, em relação simétrica e de respeito com saberes ancestrais — condição que permite à ciência avançar e desvendar mais algumas histórias de outros reinos. Como Ursula e outras autoras nos ensinam: importa quais histórias contamos para contar histórias; importa quais histórias fazem mundos, quais mundos fazem histórias.

E quais mundos se fazem quando histórias dão vozes aos reinos animal, vegetal e mineral? E aos outros reinos também já classificados e inventados pela ciência e a arte.

Assumir essas perspectivas para criar o festival é uma estratégia de imaginação e escuta atenta que, rumo a esse novo mundo-semente-história, tenta pensar para além do excepcionalismo humano e sua implacável história única de reducionismos e dualismos.

Assim, criamos um espaço para que essas vozes ecoem através de uma multiplicidade de linguagens artísticas e atividades educativas, lançando alguns diálogos sobre as turbulências desta época de rápida transição ambiental. O tema desta edição do festival – Histórias de Outros Reinos – surge como um título que pode nomear a breve continuação e materialização que ousamos dar ao conto de Ursula, e ao mesmo tempo, as muitas histórias e trabalhos inéditos criados em conjunto com algum reino.

Imaginamos conhecer gente que se transforma em bicho, memórias vivas de territórios em disputa, paisagens sensíveis, relatos das matas, águas e voçorocas, organismos digitais, crônicas de expedições não predatórias, experiências e rituais com ervas, bactérias e alimentos encantados, ficções especulativas… Neste jogo, importa quais histórias fazem mundos, e quais mundos fazem histórias. Que histórias singulares esses seres-reinos têm a nos contar? Artistas e therolinguistas podem nos ajudar a perguntar.

Ao propormos a ficção como porta de entrada para refletir sobre isso o que chamamos de natureza e humanidade, vamos em direção ao não verificável: um lugar permeado por fatos e invenções com autonomia para abordar as complexas relações entre o real e o ficcional. Na liberdade da criação, o próprio formato do Kino Beat se assume como uma história inventada: um festival proposto por uma associação ficcional, que reúne trabalhos de artistas, cientistas associados, ativistas, pensadores e entusiastas dispostos a fabular coletivamente outras histórias para este mundo.

Porto Alegre 1˚ de Setembro de 2021
Conselho argumentativo da Associação de Therolinguística

Ficha Técnica

Curadoria e coordenação geral: Gabriel Cevallos
Assistência de curadoria e produção: Adauany Zimovski
Produção executiva: Liége Biasotto
Coordenação de comunicação e Assessoria de Imprensa: Bruna Paulin
Curadoria da programação educativa: Associação de Pesquisas e Práticas em Humanidades (APPH)
Organização do Congresso de Therolinguística: Grupo de Pesquisa em Semiótica e Culturas da Comunicação UFRGS (GPESC)
Criação argumento do festival: Adauany Zimovski, Camila Proto, Gabriel Cevallos, Fernando Silva e Silva, Luísa Muccillo, Léo Tietboehl
Direção de arte e Design: Gabriel Felipe
Design: Librae
Redes Sociais: Clara Corleone
Tráfego: Camila Lopes
Site: Quanta Design Digital